Follow by Email

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

História do Brasil I - 2012/2 - Programa

Caros, pequena mudança: alterei o texto complementar da sétima aula, colocando mais um do Schwartz, e coloquei outro capítulo, mais sintético, do Alencastro, como obrigatório da 8a aula.

Em Word: http://www.mediafire.com/file/677ylfgqtqyegqu/1História_do_Brasil_I_-_Thiago_Krause.doc

Universidade Federal do Rio de Janeiro - Instituto de História.
História do Brasil I - IHI215 Período: 2012-2.
Sala: 303A Horário: Segunda-Feira, 08:40-12:00.
Pasta: Xerox do 3º andar, pasta 32A. Carga Horária: 60h.
Professor: Ms. Thiago Krause – thiagokrause@gmail.com.
Site: www.historiadaamericai.blogspot.com
Observação: o presente programa, a bibliografia, tipos de avaliações e critérios das mesmas poderão ser alterados a critério do professor, em atenção ao melhor aproveitamento do semestre letivo.

Programa de História do Brasil I
Ementa
Estudo das características e modalidades fundamentais da colonização portuguesa na América desde um ponto de vista sócio-econômico. Principais tendências historiográficas sobre o período.

Objetivos
Trabalhar de forma complementar os aspectos sociais, políticos, econômicos e culturais que se combinaram na formação da sociedade colonial – ou, para ser mais preciso, das múltiplas sociedades que se desenvolveram nos territórios que depois vieram a compor o Brasil independente no século XIX.
Oferecer aos alunos um instrumental historiográfico básico para a compreensão do Brasil Colonial. Será dada preferência a trabalhos mais recentes, devido aos limites inerentes a um curso básico, mas nas aulas expositivas será delineado o panorama historiográfico mais amplo.

Métodos
Aulas expositivas com a utilização de apresentações no Datashow, em que serão projetados o plano da aula, imagens e trechos de documentos; discussões de textos. Todas as aulas possuirão uma leitura obrigatória, que será discutida em sala, e uma bibliografia complementar indicada aos alunos. Presença é obrigatória e realizarei chamada. Este programa e diversos textos serão colocados para download no blog.

Avaliação
Participação nos debates em sala de aula – 2 pontos: nas duas primeiras discussões a turma será dividida em grupos de 5 alunos, apresentando um relatório sobre o debate. Nas aulas seguintes, cada texto possuirá até cinco expositores, além de um número igual de comentadores. Após a contextualização do professor, os expositores deverão apresentar o texto em no máximo 30 minutos, destacando seus pontos centrais e pontos a serem debatidos e aprofundados, enquanto os últimos deverão levantar questões para estimular o debate e/ou responder a questões colocadas por colegas ou pelo professor. Tanto comentadores quanto expositores deverão realizar a leitura complementar indicada para o aprofundamento da discussão. Todos os alunos deverão expor um texto e comentar outro, além de participarem dos dois primeiros debates. A participação durante as aulas expositivas e ao longo de todos os debates será muito valorizada.
Atenção! O objetivo da exposição e dos comentários é gerar debates, não realizar um fichamento detalhado, pois parte-se do pressuposto que todos leram o texto.
Trabalho – 4 pontos: um ensaio de 6 a 8 páginas, espaçamento 1,5, fonte 12 pt, Times New Roman, margens 2,5 cm, sobre um tema debatido ao longo do curso, a ser entregue na 12ª aula. O trabalho deve demonstrar a capacidade de recorte de um tema relevante, a reflexão crítica sobre a bibliografia (para além das leituras obrigatórias e complementares) e capacidade de análise.
Atenção! Plágio é zero automático.
Observação importante: a entrega do trabalho com até uma semana de atraso implica perda de 30% da nota; duas semanas, 50%; mais do que isso, o trabalho não será aceito.
Prova individual em sala de aula – 4 pontos: a prova consistirá em duas questões discursivas que exigirão uma comparação entre as leituras obrigatórias do curso; a utilização da bibliografia complementar será valorizada. Os alunos terão uma hora de consulta, devendo depois guardar todo o material, exceto anotações manuscritas realizadas na hora.

Temas e Cronograma de Leituras

1ª Aula 1ª parte: Apresentação do Programa e definição de expositores e comentadores.
15/10 Interpretações clássicas do Brasil: Varnhagen e Capistrano de Abreu.
2ª Aula Interpretações clássicas do Brasil (continuação)
22/10 Discussão de textos (a turma será dividida em grupos): Gilberto Freyre. “Características gerais da colonização portuguesa no Brasil: formação de uma sociedade agrária, escravocrata e híbrida” in: id. Casa-Grande & Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. São Paulo: Global, 2006 [1933], 51ª edição revista, pp. 64-117; Sérgio Buarque de Holanda. “Trabalho e Aventura” in: id. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2006 [1936], edição comemorativa, pp. 31-61; Caio Prado Júnior. “Sentido da Colonização” in: id. Formação do Brasil Contemporâneo: Colônia. São Paulo: Brasiliense, 1994 [1942], 23ª ed., pp. 19-32; Raymundo Faoro. “Traços gerais da organização administrativa, social, econômica e financeira da colônia” Os Donos do Poder: formação do patronato político brasileiro. Porto Alegre: Globo, 1984 [1958], 6ª ed. revista e ampliada, vol. I, pp. 169-202.
3ª Aula Novas Interpretações do Brasil: do Antigo Sistema Colonial ao Antigo Regime nos Trópicos.
29/10 Discussão de textos (a turma será dividida em grupos): Fernando A. Novais. “A Crise do Antigo Sistema Colonial” in: id. Portugal e Brasil na Crise do Antigo Sistema Colonial (1777-1808). São Paulo: Hucitec, 2005 [1979], 8ª ed., pp. 57-116; Ciro Cardoso, “As concepções do 'Sistema Econômico Mundial 'e do 'Antigo Sistema Colonial’: a preocupação obsessiva com a 'extração de excedente'” in: José Roberto do Amaral Lapa (Org.). Modos de Produção e Realidade Brasileira. Petrópolis: Vozes, 1980, pp. 109-132; João Fragoso & Manolo Florentino. O arcaísmo como projeto: sociedade agrária e elite mercantil em uma economia colonial tardia (Rio de Janeiro, c. 1790 – c. 1840). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001 [1993], 4ª ed. revista, pp. 15-21 e 221-38; João Fragoso & Fátima Gouvêa. “Monarquia pluricontinental e repúblicas: algumas reflexões sobre a América lusa nos séculos XVI-XVIII”. Tempo, n. 27, 2009, pp. 36-50.
4ª Aula 1ª parte: A Expansão Marítima Portuguesa e o Descobrimento do Brasil.
12/11 2ª parte: Discussão de texto.
Obrigatório: Luiz Felipe Thomaz. “Expansão portuguesa e expansão europeia – reflexões sobre a gênese dos descobrimentos” [1989] in: id. De Ceuta a Timor. Lisboa: Difel, 1994, pp. 1-41.
Complementar: Vitorino Magalhães Godinho. “Que significa descobrir?” in: Adauto Novaes (org.). A Descoberta do Homem e do Mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 1998, pp. 55-82.
5ª Aula 1ª parte: Índios: aliados, inimigos, escravos e catequizados.
26/11 2ª parte: Discussão de texto.
Obrigatório: Maria Regina Celestino de Almeida. “Política de aldeamentos e colonização” in: id. Os índios na história do Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 2010, pp. 71-106.
Complementar: John Monteiro, “Senhores e índios” in: id. Negros da Terra: índios e bandeirantes nas origens de São Paulo. São Paulo: Companhia das Letras, 1994, pp. 154-87.
6ª Aula 1ª parte: A Construção da Economia Colonial (XVI-XVII)
03/12 2ª parte: Discussão de texto.
Obrigatório: Stuart Schwartz. “A ‘Babilônia’ colonial: a economia açucareira” e “Os escravos: ‘remédio de todas as coisas’” in: Francisco Bethencourt & Kirti Chauduri (eds.). História da Expansão Portuguesa, vol. 2: do Índico ao Atlântico (1570-1697). Lisboa: Círculo de Leitores, 1998, pp. 213-47.
Complementar: João Fragoso. “A formação da economia colonial no Rio de Janeiro e de sua primeira elite senhorial (séculos XVI e XVII)” in: João Fragoso; Fátima Gouvêa; Fernanda Bicalho. (Org.). O Antigo Regime nos trópicos: a dinâmica imperial portuguesa, séculos XVI-XVIII. Rio de janeiro: Civilização Brasileira, 2001, pp. 29-73.
7ª Aula 1ª parte: Mineração, Diversificação e Integração no Século XVIII
10/12 2ª parte: Discussão de texto.
Obrigatório: Antônio Carlos Jucá de Sampaio. “A curva do tempo: as transformações na economia e na sociedade coloniais no século XVIII” in: João Fragoso. O Brasil Colonial, vol. 3. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, no prelo.
Complementar: Stuart Schwartz, “De ouro a algodão: a economia brasileira no século XVIII” e “O Brasil no sistema colonial” in: Francisco Bethencourt & Kirti Chauduri (eds.). História da Expansão Portuguesa, vol. 2: do Índico ao Atlântico (1570-1697). Lisboa: Círculo de Leitores, 1998, pp. 86-103 e 138-53.
8ª Aula 1ª parte: Tráfico e Cativeiro
17/12 2ª parte: Discussão de texto.
Obrigatório: Luiz Felipe de Alencastro. “A Rede Econômica do Mundo Atlântico Português” in: Francisco Bethencourt & Diogo Ramada Curto (dirs.). A Expansão Marítima Portuguesa, 1400-1800. Lisboa: Editorial 70, 2010, pp. 115-39.
Complementar: Manolo Florentino, Alexandre Vieira Ribeiro e Daniel Domingues. “Aspectos comparativos do tráfico de africanos para o Brasil (séculos XVIII-XIX)”. Afro-Ásia, vol. 31, pp. 83-126.
9ª Aula 1ª parte: Resistência e Liberdade
07/01 2ª parte: Discussão de texto.
Obrigatório: Rafael de Bivar Marquese. “A dinâmica da escravidão no Brasil: resistência, tráfico negreiro e alforrias, séculos XVII a XIX”. Novos Estudos CEBRAP, vol. 74, 2006, pp. 107-123.
Complementar: Silvia Lara. “A multidão de pretos e mulatos” in: id. Fragmentos Setecentistas: escravidão, cultura e poder na América portuguesa. São Paulo: Companhia das Letras, 2007, pp. 126-72.
10ª Aula 1ª parte: Uma Sociedade Escravista Colonial
14/01 2ª parte: Discussão de texto.
Obrigatório: Stuart Schwartz, “Uma sociedade escravista colonial” in: id. Segredos Internos: engenhos e escravos na Bahia, 1550-1835. São Paulo: Companhia das Letras, 1988, pp. 209-24.
Complementar: Silvia Lara. “Diferentes e Desiguais” in: id. Fragmentos Setecentistas: escravidão, cultura e poder na América portuguesa. São Paulo: Companhia das Letras, 2007, pp. 79-125.
11ª Aula 1ª parte: Religião, Inquisição e Cultura Popular
21/01 2ª parte: Discussão de texto.
Obrigatório: Laura de Mello e Souza. “Religiosidade popular na colônia” in: id. O Diabo e a Terra de Santa Cruz: feitiçaria e religiosidade popular no Brasil colonial. São Paulo: Companhia das Letras, 1986, pp. 86-150.
Complementar: Ronaldo Vainfas. “Moralidades brasílicas: deleites sexuais e linguagem erótica na sociedade escravista” in: Fernando A. Novais (dir.) & Laura de Mello e Souza. (org.). História da vida privada no Brasil, vol. I: Cotidiano e vida privada na América Portuguesa. São Paulo: Companhia das Letras, 1997, pp. 221-73.
12ª Aula 1ª parte: Administração, Poder Local e Política
28/01 2ª parte: Discussão de texto.
Obrigatório: Stuart B. Schwartz. “O Abrasileiramento da Burocracia” e “Conclusão” in: id. Burocracia e Sociedade no Brasil Colonial: a Suprema Corte da Bahia e seus juízes (1609-1751). São Paulo: Perspectiva, 1979 [1973], pp. 251-95.
Complementar: Fernanda Bicalho. “As Câmaras Ultramarinas e o Governo do Império” in: João Fragoso; Maria Fernanda Baptista Bicalho; Maria de Fátima Silva Gouvêa. (Org.). O Antigo Regime nos Trópicos. A dinâmica imperial portuguesa. Sécs. XVI-XVIII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, pp. 189-221.
13ª Aula 1ª parte: Reformas e Conjurações no Império Luso-Brasileiro (1750-1801) – Entrega do Trabalho.
04/02 2ª parte: Discussão de texto.
Obrigatório: István Jancsó. “A sedução da liberdade: cotidiano e contestação política no final do século XVIII” in: Fernando A. Novais (dir.) & Laura de Mello e Souza (org.). História da vida privada no Brasil, vol. I: Cotidiano e vida privada na América Portuguesa. São Paulo: Companhia das Letras, 1997, pp. 387-437.
Complementar: Luiz Carlos Villalta. “O Reformismo Ilustrado, a ‘Revolução’ e o Império Luso-Brasileiro” e “Minas Gerais, 1789: inconfidências no plural” in: id. 1789-1808. O Império Luso-Brasileiro e os Brasis. São Paulo: Companhia das Letras, 2000, pp. 17-68.
14ª Aula Prova Escrita Individual em sala de aula
18/02
15ª Aula Entrega de Resultados e Avaliação do Curso
25/02

Bibliografia
ALENCASTRO, Luiz Felipe de. O Trato dos Viventes: Formação do Brasil no Atlântico Sul, séculos XVI e XVII. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
ALMEIDA, Maria Regina Celestino de. Os índios na história do Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 2010.
ANDRADE, Francisco Eduardo de. A invenção das Minas Gerais: empresas, descobrimentos e entrada nos sertões do ouro da América portuguesa. Belo Horizonte: Autêntica/Ed. PUC Minas, 2008.
BETHELL, Leslie (ed.). História da América Latina: América Latina Colonial, vols. I e II (trad.). São Paulo/Brasília: EDUSP/Fundação Alexandre de Gusmão, 1997-2004 [1984].
BETHENCOURT, Francisco e CHAUDURI, Kirti (dir.). História da expansão portuguesa. Lisboa, Círculo dos Leitores, 1998, vols. 1-3.
BICALHO, Maria Fernanda. A cidade e o Império: o Rio de Janeiro na dinâmica colonial portuguesa, séculos XVII e XVIII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.
BOXER, Charles R. Portuguese society in the tropics: the municipal councils of Goa, Macao, Bahia and Luanda. Madison: University of Wisconsin Press, 1965.
________________. O império marítimo português: 1415-1825 (trad.). São Paulo: Companhia das Letras, 2002 [1969].
CHAMBOULEYRON, Rafael. Povoamento, Ocupação e Agricultura na Amazônia Colonial (1640-1706). Belém: Açaí, 2010.
FAORO, Raymundo. Os Donos do Poder: formação do patronato político brasileiro. Porto Alegre: Globo, 1984 [1958], 6ª ed. revista e ampliada, vol. I.
FARIA, Sheila de Castro. A colônia em movimento: fortuna e família no cotidiano colonial. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1998.
FEITLER, Bruno. Nas malhas da consciência: Igreja e Inquisição no Brasil – Nordeste, 1640-1750. São Paulo: Alameda/Phoebus, 2007.
FIGUEIREDO, Luciano. Rebeliões no Brasil Colônia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.
FLORENTINO, Manolo. Em Costas Negras: uma história do tráfico atlântico de escravos entre a África e o Rio de Janeiro (séculos XVIII e XIX). São Paulo: Companhia das Letras, 1997 [1995], 2ª ed.
FONSECA, Cláudia Damasceno. Arraiais e Vilas D’el Rei: espaço e poder nas Minas Setecentistas (trad.). Belo Horizonte: EDUFMG, 2011.
FRAGOSO, João. Homens de grossa aventura: acumulação e hierarquia na praça mercantil do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998 [1992], 2ª ed.
______________ & FLORENTINO, Manolo. O arcaísmo como projeto: sociedade agrária e elite mercantil em uma economia colonial tardia (Rio de Janeiro, c. 1790 – c. 1840). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001 [1993], 4ª ed. revista.
FRAGOSO, João; GOUVÊA, Fátima & BICALHO, Fernanda (orgs.). O Antigo Regime nos Trópicos: a dinâmica imperial portuguesa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.
FRAGOSO, João; ALMEIDA, Carla e SAMPAIO, Antonio Carlos Jucá de (orgs.). Conquistadores e Negociantes: histórias de elites no Antigo Regime nos trópicos. América lusa, séculos XVI a XVIII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.
FRAGOSO, João & GOUVÊA, Fátima (orgs.). Na Trama das Redes: política e negócios no império português, séculos XVI-XVIII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.
FREYRE, Gilberto. Casa-Grande & Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. São Paulo: Global, 2006 [1933], 51ª edição revista.
FURTADO, João Pinto. O manto de Penélope: história, mito e memória da inconfidência mineira de 1788-9. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.
FURTADO, Júnia Ferreira (org.). Diálogos oceânicos: Minas Gerais e as novas abordagens para uma história do Império ultramarino português. Belo Horizonte, editora da UFMG, 2001.
HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2006 [1936], edição comemorativa.
__________________________. Visão do Paraíso: os motivos edênicos no descobrimento e colonização do Brasil. São Paulo: Brasiliense/Publifolha, 2000.
ISTVÁN, Jancsó. Na Bahia, contra o império: história do ensaio de sedição de 1798. São Paulo: Hucitec, 1996.
KLEIN, Herbert & LUNA, Francisco Vidal. Escravismo no Brasil (trad.). São Paulo: EDUSP/Imprensa Oficial, 2010 [2009].
LAPA, José Roberto do Amaral. O Antigo Sistema Colonial. São Paulo: Brasiliense, 1982.
LARA, Silvia H. Campos da Violência: Escravos e Senhores na Capitania do Rio de Janeiro, 1750-1808. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1988.
_____________. Fragmentos Setecentistas: escravidão, cultura e poder na América Portuguesa. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.
MATHIAS, Carlos L. K. As Múltiplas Facetas da Escravidão: o espaço econômico do ouro e sua elite pluriocupacional na formação da sociedade mineira setecentista. Rio de Janeiro: Mauad X, 2012.
MATTOSO, José (dir.). História de Portugal. Lisboa: Estampa, 1993, vols. 3 (“O Alvorecer da Modernidade”, 1480-1620) e 4 (“O Antigo Regime”, 1621-1807).
MAURO, Frédéric. Portugal, o Brasil e o Atlântico, 1570-1670. Lisboa: Estampa, 1997 [1960].
MAXWELL, Kenneth, A Devassa da Devassa: a Inconfidência mineira. Brasil e Portugal, 1750-1808 (trad.). Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1995.
MELLO, Evaldo Cabral de. Olinda Restaurada: guerra e açúcar no Nordeste, 1630-1654. São Paulo: Editora 34, 2007 [1975], 3ª ed. definitiva.
______________________. Rubro Veio: o imaginário da restauração pernambucana. São Paulo: Alameda Editorial, 2008 [1986], 3ª ed. revista.
______________________. A fronda dos mazombos: nobres contra mascates, Pernambuco, 1666-1715. São Paulo, Ed. 34, 2003 [1995], 2ª ed. revista.
MONTEIRO, John M. Negros da terra: índios e bandeirantes nas origens de São Paulo. São Paulo, Companhia das Letras, 1994.
NOVAES, Adauto (org.). A Descoberta do homem e do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.
NOVAIS, Fernando A. Portugal e Brasil na Crise do Antigo Sistema Colonial (1777-1808). São Paulo: HUCITEC, 2005 [1979], 8ª ed.
NOVAIS, Fernando A. (dir.) & SOUZA, Laura de Mello e (org.). História da vida privada no Brasil, vol. I: Cotidiano e vida privada na América Portuguesa. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.
NOVINSKY, Anita. Cristãos Novos na Bahia. São Paulo: Perspectiva, 1992 [1972], 2ª ed.
OSÓRIO, Helen. O império português no sul da América: estancieiros, lavradores e comerciantes. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2007.
PRADO JÚNIOR, Caio. Formação do Brasil Contemporâneo: Colônia. São Paulo: Brasiliense, 1994 [1942], 23ª ed.
PALACIOS, Guillermo. Campesinato e escravidão no Brasil: Agricultores livres e pobres na Capitania Geral de Pernambuco (1700-1817) (trad.). Brasília: EdUnB, 2004 [1998].
PAIVA, Eduardo França. Escravidão e Universo Cultural na Colônia: Minas Gerais, 1716-1789. Belo Horizonte: EDUFMG, 2001.
PUNTONI, Pedro. A Guerra dos Bárbaros: povos indígenas e colonização do sertão nordeste do Brasil, 1650-1720. São Paulo: EDUSP/Hucitec/FAPESP, 2002.
RAMINELLI, Ronald. Viagens Ultramarinas: monarcas, vassalos e o governo à distância. São Paulo: Alameda, 2008.
REGINALDO, Lucilene. Os Rosários dos Angolas: irmandades de africanos e crioulos na Bahia Setecentista. São Paulo: Alameda, 2011.
REIS, João José & GOMES, Flávio dos Santos (orgs.). Liberdade por um fio: história dos quilombolas do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.
RICUPERO, Rodrigo. A formação da elite colonial: Brasil, c. 1530 – c. 1630. São Paulo: Alameda, 2008.
ROMEIRO, Adriana. Paulistas e emboabas no coração das Minas: ideias, práticas e imaginário político no século XVIII. Belo Horizonte: EDUFMG, 2008.
RUSSELL-WOOD, A. J. R. Escravos e libertos no Brasil colonial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005 [1982].
SALDANHA, António Vasconcelos. As Capitanias do Brasil: antecedentes, desenvolvimento e extinção de um fenómeno atlântico. Lisboa: CNCDP, 2001 [1992], 2ª ed.
SAMPAIO, Antonio Carlos Jucá de. Na encruzilhada do império: hierarquias sociais e conjunturas econômicas no Rio de Janeiro (c.1650-1750). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2003.
SCHWARTZ, Stuart B. Burocracia e sociedade no Brasil colonial: a Suprema Corte da Bahia e seus juízes, 1609-1751 (trad.). São Paulo: Perspectiva, 1979 [1973].
___________________. Segredos internos: engenhos e escravos na sociedade colonial, 1550-1835 (trad.). São Paulo, Companhia das Letras, 1988 [1985].
___________________. Escravos, roceiros e rebeldes (trad.). Bauru: EDUSC, 2001 [1992].
___________________. Cada um na sua lei: tolerância religiosa e salvação no mundo atlântico ibérico (trad.). São Paulo/Bauru: Companhia das Letras/EDUSC, 2009 [2008].
SOARES, Márcio de Sousa. A Remissão do Cativeiro: a dádiva da alforria e o governo dos escravos nos Campos dos Goitacases, c. 1750 – c. 1830. Rio de Janeiro: Apicuri, 2009.
SOUZA, Laura de Mello e. Desclassificados do Ouro. Rio de Janeiro: Graal, 2004 [1982], 4ª ed..
______________________. O diabo e a Terra de Santa Cruz: feitiçaria e religiosidade popular no Brasil colonial. São Paulo: Companhia das Letras, 1986.
______________________. O sol e a sombra: política e administração na América portuguesa do século XVIII. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.
THOMAZ, Luís Filipe F. R. De Ceuta a Timor. Lisboa: Difel, 1994.
VAINFAS, Ronaldo. Trópico dos pecados. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010 [1989], 3ª ed.
________________. A heresia dos índios: catolicismo e rebeldia no Brasil colonial. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
VILLALTA, Luiz Carlos. 1789-1808. O Império luso-brasileiro e os Brasis. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
_____________________ & RESENDE, Maria Efigênia Lara de (orgs.). As Minas Setecentistas. Belo Horizonte: Autêntica, 2007, 2 vols.

Nenhum comentário:

Postar um comentário